Empresa que comercializa óleo de palma se compromete com proteção florestal

Pressionada, grande vendedora de óleo de palma se compromete com proteção florestal

Uma das maiores empresas que comercializam óleo de palma no mundo anunciou intenção em proteger as florestas tropicais com uma prática sustentável

Estudos vêm mostrando que o uso extensivo de óleo de palma na alimentação poderia provocar danos à saúde. Por enquanto, o que se tem certeza é que a exploração dos óleos vem causando sérios problemas para o meio ambiente.

Em grande parte, falta controle ambiental e social sobre a exploração das florestas tropicais que provocam desmatamento, uso de trabalho escravo e produção de combustível diesel. Por exemplo, 50% do consumo de óleo de palma na Europa tem como finalidade o biodiesel. O Parlamento Europeu aprovou neste ano uma resolução para pressionar a eliminação progressiva do uso de óleos vegetais até o ano 2020.

Para evitar a destruição de milhares de hectares de florestas tropicais, a ONG Greenpeace vem realizando uma pressão para que as empresas de exploração do óleo se preocupem pela conservação através da extração sustentável.

A empresa IOI, uma das grandes vendedoras do óleo mundialmente, anunciou o compromisso pela proteção das florestas, o que representa um grande passo neste sentido, que poderá incentivar a novas formas para conseguir o óleo de maneira sustentável.

Além da pressão da ONG, também a rejeição das grandes marcas como a Nestlé que recusou a compra do óleo proveniente de exploração irresponsável contribuiu para que a IOI tomasse essa postura.

A decisão da empresa pode representar também o início de novas atitudes entre outras exploradoras, que poderão plantar zonas para o cultivo do vegetal.

Recomendamos o Mestrado em Gestão e Auditorias Ambientais da UNINI para os profissionais interessados em capacitar-se para atuar na proteção e manejo responsável das florestas.

Fonte: Major palm oil company promises to protect forests (Greenpeace)

Foto: Creative Commons por Pixabay/