fAZER NEGÓCIOS NA CHINA

unini-china-negocios

Os empresários que desejem investir no mercado asiático devem saber que nessa região do globo se negocia de forma diferente

O mercado asiático, e principalmente a China, pode ser muito atrativo para os empresários. Durante o primeiro trimestre do ano a China obteve um crescimento de 6,7%, mas os analistas indicam que o país asiático enfrenta uma desaceleração, entretanto o volume de negócios segue sendo atrativo para as empresas. Em meio deste contexto complexo, abrem-se portas para os negócios ocidentais, mas há algumas condições que os empresários devem compreender antes de estabelecer-se.

Alguns empresários manifestam que o processo de negociação é diferente no ambiente de negócios da Ásia. Os empresários chineses procuram estabelecer relações de confiança antes de fazer um negócio, tomam longos períodos para avaliar e refletir a respeito de um negócio e, por essa razão, concretizar um acordo pode levar mais tempo que no Ocidente.

O presidente executivo da Alliance Boots, Stefano Pessina, indica em um artigo para a BBC, que desde sua primeira negociação entendeu que estabelecer um negócio no mercado chinês pode levar mais tempo. O diretor da Alliance Boots ressalta que foram vários anos de negociações até chegar a um acordo que permitisse que sua empresa adquirisse 50% de participação na empresa Guangzhou Pharmaceuticals no ano 2005; além disso, foram necessários dois anos adicionais de negociações e trâmites antes que o acordo fosse aceito pelas autoridades.

Stefano indica que após isso administrou a compra de uma participação menor na empresa Nanjing Pharmaceutical, mas a autorização das autoridades locais segue pendente.

O contexto de negociações na Ásia é diferente ao mundo ocidental. Stefano destaca que se deve considerar maior período de tempo para que os executivos reflitam sobre o negócio, e também que os empresários chineses costumam mudar de opinião durante o processo de negociação.

Antes de realizar um investimento no mercado chinês, os empresários devem ponderar que o âmbito de negócios asiático tem regras de jogo diferentes ao mercado ocidental. Estas considerações são de especial importância no caso de empresas que cotam em bolsa, pois devem informar sobre os resultados a cada três meses, e se devem explicar com clareza as condições que devem ser enfrentadas no contexto asiático.

É necessário que as empresas ingressem no mercado chinês em parceria com um consultor experiente ou após realizar um acordo com um sócio de negócios que conheça o mercado e ajude a minimizar a possibilidade de erros. A empresa EBay ingressou no mercado chinês e fracassou, mas alguns anos depois entrou novamente para competir no país asiático, mas formando um joint venture com um sócio local, conseguindo identificar que os cidadãos chineses precisavam de ajuda para vender on-line.

Para ingressar no mercado chinês é preciso entender que é uma cultura diferente à ocidental, sendo necessário adaptar-se a esse mercado. Os estudantes do Mestrado em Direção Estratégica com Especialidade em Gerência da UNINI aprendem sobre as diferenças culturais e as precauções que devem ser tomadas ao ingressar em novos mercados para ter um crescimento bem-sucedido.

Foto CC: Forayinto35mm