Termina a IV Liga de Debates UNEATLANTICO, da qual participaram alunos da UNINI Porto Rico

banner-LD-4-blog-uninipr-pt

O grupo “5 é uma multidão” foi o vencedor da IV Liga de Debates realizada entre os dias 27 e 30 de outubro pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO), na qual participaram outras universidades da rede FUNIBER, como por exemplo UNINI Porto Rico, UNINI México e UNINCOL.

A equipe “5 é uma multidão”, formada pelas alunas da UNEATLANTICO Andrea Bruni, Irene Pérez e Julia Marrón, venceu a final com 34,33 pontos contra 26,33 de “Los Indecisos”, segunda equipe classificada, obtendo a pontuação cumulativa de 190,16 e 161,67, respectivamente (a pontuação final vale o dobro).

Na categoria de melhor orador, Andrea Bruni venceu “5 é uma multidão”, que já foi indicada 9 vezes. Segue-se Thais Campón da equipa “Los Indecisos”, indicada 6 vezes. Amparo Guadalupe García, da equipe “Almas Libres”, e María Reneé Escobar, da equipe “Ingenieros por el Futuro”, foram indicadas cinco vezes.

Especificamente, 14 equipes fizeram parte da competição. Duas das vencedoras do time “5 é multidão”, Irene Pérez e Julia Marrón, já conquistaram o prêmio na última edição.

As restrições atuais causadas pela pandemia do coronavírus forçaram a competição a ser disputada virtualmente.

A Liga foi organizada pelos Dr. Araceli Alonso e Dr. Manuel Cristóbal e pela Diretora da Cátedra de Cultura Empresarial e Empregabilidade da UNEATLANTICO, Inna Alexeeva. Este último atuou como árbitro na final e fez um balanço do resultado da Liga.

“Estamos a falar de quatro dias muito intensos nos quais te tornaste mais conhecido. Todo mundo adquiriu muita autoconfiança. A partir de agora continuamos com mais aprendizado, mas acima de tudo com maior segurança ”, disse Alexeeva.

A doutora em Jornalismo e jurada, Rosa Pérez Arozamena, destacou a trajetória e os resultados dos participantes em um momento em que a retórica “está voltando à sua segunda juventude”.

O tema do debate deste ano girou em torno da questão de se a sociedade está ou não preparada para assumir o direito à eutanásia ativa. A universidade organizou um curso de preparação pré-competição no qual mais de 300 pessoas se inscreveram.