Caminhar ou correr, ações que ativam diferentes partes do cérebro

unini-dep-cerebro

Um estudo indica que atividades menos intensas, como caminhar, ativam a parte cognitiva do cérebro. Por outro lado, a corrida, outro tipo de exercício mais intenso, ativa emoções.

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Bonn, na Alemanha, realizou um estudo sobre a relação entre atividade física e a ativação de uma parte do cérebro.

Segundo este estudo, o exercício, quando realizado com baixa intensidade, pode desencadear redes cerebrais associadas ao controle cognitivo e ao processamento da atenção.

Por outro lado, quando praticamos atividades físicas mais intensas, processamos uma parte do cérebro associada a emoções e afetos. Para o estudo, eles tiveram a participação de atletas, que começaram a caminhar e correr em dias alternados em esteira e em 30 minutos.

“Esses novos métodos nos permitiram” olhar “diretamente para o cérebro e entender as mudanças dinâmicas na estrutura e função do cérebro associadas à transição de um estilo de vida sedentário para um estilo de vida saudável”, explicou um dos autores do estudo, Angelika Schmitt, após realizar uma análise da ressonância magnética funcional em repouso. Com essa técnica, os pesquisadores foram capazes de observar como o cérebro é ativado sem interferir no corpo.

Embora a atividade de caminhar tenha sido vinculada anteriormente a um exercício de menor intensidade, ideal em momentos de reflexão, este estudo mostra que, ao caminhar, ativamos a parte cognitiva.

Por outro lado, se buscarmos equilíbrio, é melhor andar e correr, atividades complementares que podem se alternar para desenvolver emoções e raciocinar de maneira equilibrada.

Para formar profissionalmente na área de Atividade Física, a UNINI patrocina diferentes programas universitários, como, por exemplo, o Mestrado em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva.

Fonte: ¿El cerebro responde al ritmo que nos ejercitamos?

Foto: Todos os direitos reservados.