Geleiras nos Andes desaparecem devido ao aquecimento global

Geleiras nos Andes desaparecem devido ao aquecimento global

Relatório aponta o derretimento das geleiras dos Andes nos últimos anos e alerta sobre efeitos do aquecimento global

No norte da cordilheira dos Andes, praticamente 63% das geleiras desapareceram nos últimos 50 anos. De acordo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), as mudanças climáticas são as responsáveis pelo derretimento dessa área que atinge partes das montanhas da Colômbia, Venezuela, Peru, Equador e Bolívia.

Já o Caribe perdeu 92% das geleiras da Sierra Nevada de Santa Marta, no último século e meio. E na Colômbia, a previsão é que em 30 ou 40 anos, todas as geleiras desapareçam.

Os dados impressionam e alertam: o processo de retrocesso é considerado muito importantes para todo o mundo, já que os efeitos serão vistos não somente a nível local. O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) desta em suas ações a importância das geleiras de montanhas como indicadores do aquecimento global.

Os dados indicam também uma necessidade de preparação das sociedades andinas de se preparar para a mudança climática. Tanto nos aspectos sociais, econômicos, ambientais e culturais, o papel das geleiras é fundamental para muitas comunidades que dependem também de recursos como o abastecimento de água.

No Mestrado em Gestão e Auditorias Ambientais, oferecido pela UNINI, os profissionais podem se capacitar para trabalhar ações de sustentabilidade ambiental.

Fonte: Monitoreo de Glaciares Tropicales Andinos en un Contexto de Cambio Climático

Foto: Todos os direitos reservados