A carne consumida na Europa e o desmatamento florestal na América do Sul

A carne consumida na Europa e o desmatamento florestal na América do Sul

A relação negativa entre a indústria da carne na Europa e plantação de soja nas florestas da América do Sul

O comércio internacional pode provocar grandes efeitos para o meio ambiente. O consumo, especialmente nos países industrializados e mais desenvolvidos, pode afetar zonas do planeta com poucas atividades industriais como acontece, por exemplo, com a ingestão de carne na Europa e as florestas da região do Gran Chaco, na América do Sul.

Aparentemente, não há relação. Mas como relatou a ONG ecológica Mighty Earth, a demanda de soja para a alimentação dos gados na Europa vem provocando o desmatamento de florestas na América do Sul, numa região localizada entre a Argentina, o Paraguai e a Bolívia.

De acordo com dados de um estudo elaborado pela ONG, em 2016 a Europa importou 46,8 milhões de toneladas de soja. Deste volume, a metade vinha da América Latina. Para consumir esta quantidade de soja, foi necessário usar 8,8 milhões de hectares de florestas.

Além do desmatamento, as plantações de soja trazem grandes efeitos ao meio local já que os agricultores usam produtos químicos, danosos para o meio ambiente e para a saúde da população local.

A ONG relata casos de doenças respiratórias, cancerígenas e más-formações, que estariam vinculadas ao uso dos agrotóxicos usados nas plantações de soja, nesta região do Gran Chacho.

Para um desenvolvimento sustentável, com responsabilidade, é importante que empresas adotem práticas positivas. A UNINI oferece o Mestrado em Gestão e Auditoria Ambiental, para os profissionais interessados numa atuação econômica que preserve os recursos naturais.

Fonte: ¿Cuántos árboles caen en América por la carne que se come en Europa?

Foto: Todos os direitos reservados