Costa Rica se compromete com meio ambiente

Costa Rica se compromete ainda mais com meio ambiente

Governo anunciou novo plano de metas para um desenvolvimento sustentável sem queima de combustíveis fósseis, proteção das florestas e gestão de resíduos

Na Costa Rica, o governo está comprometido com a preservação ambiental. Recentemente, anunciaram uma ação ambiciosa para acabar com a queima de combustíveis fósseis no país para o ano 2050.

Esta, e outras medidas, serão realizadas dentro do  Plano Nacional de Descarbonização, criado com o objetivo de estimular o desenvolvimento sustentável, e combater o aquecimento global.

O Plano estabelece metas, especialmente relacionadas ao setor de transportes urbanos, público e privado e à gestão de resíduos. No lançamento do Plano Nacional de Descarbonização, apresentado no dia 24 de fevereiro, o presidente costarriquense afirmou que este é um “grande desafio da nossa geração”. “É um compromisso que assumimos como Governo mas no qual todos devemos participar”, disse Carlos Alvarado.

Um dos nomes fortes na negociação do Acordo de Paris para a Mudança Climática, Christiana Figueres, conduziu o evento de lançamento e se mostrou otimista em relação ao plano apresentado.

Ela afirmou que o país vem sendo pioneiro na conservação ambiental, empregando muitos esforços. “Mas ficaram para trás em duas duras realidades: combater a mudança climática e apostar no desenvolvimento social e econômico”.

No Plano Nacional de Descarbonização foram traçados 10 eixos com duas metas concretas cada um. Na primeira meta, espera-se alcançar alguns avanços para 2030. A partir da primeira meta, esperam dar continuidade e chegar à segunda, que está estipulada para o ano 2050.

As metas estão relacionadas aos seguintes eixos temáticos:

  • Sistema de transporte público e mobilidade alimentada por energias limpas, com um incremento de pelo menos 10% das mobilizações não motorizadas.
  • Automóveis com zero emissões e extensa rede de recarga elétrica em todo o país com infraestrutura complementária para tecnologias limpas.
  • Adoção de tecnologias de eficiência energética.
  • Energia renovável a custo competitivo para os usuários e digitalização dos processos institucionais e comerciais.
  • Construções com técnicas de alta eficiência e baixas emissões.
  • Modernizar o setor industrial através da aplicação de processos elétricos, sustentáveis e mais eficientes.
  • Separação, reutilização, revalorização e disposição final  de resíduos com máxima eficiência e energias limpas.
  • Tecnologia alimentaria eficiente e baixa em carbono que gere bens de exportação e também para o consumo local.
  • Eficiência produtiva e diminuição de gases de efeito estufa
  • Proteção da biodiversidade, o incremento e a manutenção das florestas e ecossistemas.

A UNINI oferece o Mestrado em Gestão e Auditorias Ambientais para profissionais interessados nas estratégias e soluções para um desenvolvimento sustentável.

Fontes:

Síntesis: Plan Nacional de Descarbonización 2018-2050

Costa Rica lanza un plan para descarbonizar su economía al año 2050

Foto: Todos os direitos reservados