8% da Amazônia desapareceu nos últimos 20 anos

unini-amazonia-deflorestacion

Segundo um estudo da Rede Amazônica de Informação Socioambiental Georreferrenciada, a Amazônia perdeu 8% de todo o seu território desde o ano 2001. Ao todo foram 500 mil quilômetros quadrados de superfície vegetal que desapareceu. A área é equivalente à superfície da Espanha.

Em grande parte, esta devastação da Amazônia está relacionada com o desmatamento. De acordo com a publicação,  a região está atualmente ainda mais ameaçada do que há oito anos.

Nos anos recentes, aumentaram as atividades extrativistas e os projetos de infraestrutura, além dos incêndios e do desmatamento.

Na Amazônia vivem 47 milhões de pessoas, e muitas comunidades indígenas. A maior parte da floresta destruída se encontra no Brasil, cuja administração atual parece favorecer este processo de destruição.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a destruição da floresta amazônica no Brasil superou 1,1 milhões de hectares entre agosto de 2019 e julho de 2020, batendo um recorde de desmatamento em 12 anos.

Outros países também mostram ações devastadoras, como por exemplo, Bolívia e Colômbia , que vêm aumentado as práticas menos conservacionistas.

A UNINI oferece o Mestrado em Gestão e Auditorias Ambientais, oportunidade para adquirir conhecimentos, ferramentas e recursos para profissionais que atuam na área ambiental.

Fonte: La Amazonia perdió el 8% del territorio en 18 años por causa de la deforestación

Nuevo récord de deforestación en la Amazonia brasileña en 12 años

Foto: Todos os direitos reservados