EDIFICÍOS BIOCLIMÁTICOS QUE ECONOMIZAM ENERGIA

unini-edificio-energia

Na Argentina foi criado o primeiro edifício bioclimático que permite reduzir o consumo de energia, sua construção foi no ano de 2011, sendo monitorado para medir a quantidade de energia economizada para o alimentar

O primeiro edifício projetado e construído em 2011 pela Unidade de Extensão e Desenvolvimento Territorial do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA), em Guatraché, O Pampa (Argentina) tinha como objetivo reduzir o consumo de energia, e o obteve, pois, o monitoramento do impacto ambiental mediu que economiza energia entre um 50 e 90% em calefação, por exemplo.

Além disso, também gerou conhecimento e experiência, pois em 2011 foram registrados dados sobre o consumo relacionado a energia. É assim, em junho deste ano, foi inaugurado o segundo edifício bioclimático, graças aos relatórios do monitoramento da primeira experiência, que foi possível obter.

Ganho solar

A ideia destes edifícios é implementar estratégias de projeto bioclimáticas para ganhar energia graças à luz solar, é assim que o responsável pelo projeto, o arquiteto Leão Marek orientou as diretrizes do projeto em reduzir o consumo de energia convencional.

Por meio da tecnologia tradicional gerou ventilação e iluminação natural, desta maneira, os espaços funcionais do edifício foram distribuídos sobre um eixo E-O com as áreas transparentes ao norte, o que permite um ganho solar de 12% em sua superfície.

É assim que ocorre a utilidade da área total, proporcionando luz solar até no inverno. Também, conta com janelas altas que favorecem com o aquecimento do sol de uma forma passiva.

Características da construção

O sistema construtivo possui as seguintes características:

  • Paredes exteriores com três camadas: tijolo maciço como massa térmica no interior (18 cm), isolamento térmico de poliestireno expandido (0,5 cm) e a proteção mecânica externa de ½ bloco de concreto. A resistência total é R= 0,52 m2 ºC/W).
  • Tetos inclinados com de chapa pré-pintada de branca que conta com uma membrana de espuma de poliestireno de 5 mm com alumínio, isolamento de lã de vidro de 10 cm de espessura e céu raso de chapa (R=0,34 m2 ºC/ W).
  • Carpintaria de alumínio pré-pintada com pré-marco de madeira.
  • Janelas com um só vidro que contam com cortinas de enrolar tipo bairro motorizadas.

Estes detalhes nos materiais e características da construção permitem que os alunos do Mestrado em Planejamento, Gestão e Direção de projetos com especialidade em Arquitetura e Urbanismo da UNINI analisem com mais detalhe esta iniciativa em favor do meio ambiente.

Fonte: Arquitectura bioclimática con recursos al alcance de todos

Foto: Todos os direitos reservados