A pirataria diminui em México e Brasil

unini-software-pirata

Estudo mostra pirataria no mundo e revela caída percentual no continente sul-americano devido ao México e ao Brasil

Uma pesquisa desenvolvida pela BSA/The Software Alliance, organização que defende a indústria de software em todo o mundo, indica que 55% da população no continente sul-americano utiliza programas sem licença. De acordo com o estudo, entre os anos 2013 e 2015, o Brasil e o México conseguiram diminuir a pirataria e melhorar a média da região.

“Devido ao tamanho dos mercados, Brasil e México influenciaram um declínio de quatro pontos percentuais na média da América Latina”, disse Antonio Eduardo Mendes da Silva, country manager da BSA para o Brasil.

O relatório apontou que em 2015, 39% dos softwares instalados não foram licenciados. A Ásia ocupou o primeiro lugar em pirataria, como região, com 61% utilizando programas piratas. Em segundo lugar no ranking, a Europa Central e do Leste contabilizou 58% de programas sem licenciamento.

A BSA destaca a importância da licença para evitar ataques cibernéticos. Os técnicos informáticos entrevistados para a pesquisa reconheceram que a prática de piratear se relaciona aos riscos de segurança que podem provocar prejuízos às empresas.

A organização lembra que, no ano passado, as companhias sofreram perdas de mais de $400 bilhões com os ataques. O Mestrado em Direção Estratégica com Especialidade em Tecnologia da Informação, da UNINI, fornece os fundamentos que garantam estratégias inovadoras e coerentes com o desenvolvimento empresarial.
Fonte: http://unini.be/1c, http://unini.be/1d

Foto: Todos os direitos reservados